segunda-feira, 17 de junho de 2013

Resumo da Copa Das Confederações

Dilma é vaiada na abertura da Copa das Confederações.


BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff foi vaiada na abertura da Copa das Confederações, neste sábado, antes do jogo entre Brasil e Japão, no Estádio Nacional de Brasília (Mané Garrincha). O público estava aplaudindo tudo antes, até quando houve saudação aos voluntários e quando foi tocado o hino do Japão. Mas, quando a presidente fez um breve pronunciamento na tribuna, declarando aberta oficialmente a competição, recebeu vaias de parte do público que lotou a arena na capital federal.

Diante das vaias, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, que estava ao lado de Dilma na tribuna do estádio e também fez um pronunciamento oficial, chegou a pedir educação aos torcedores. "Amigos do futebol brasileiro, onde está o respeito e o fair play, por favor?", disse o dirigente suíço, aumentando o constrangimento do momento.
Antes disso, Blatter fez um breve discurso. "Prezados amigos do futebol, estamos todos reunidos hoje para uma verdadeira festa do futebol no país pentacampeão. É um grande prazer, em nome da Fifa, dar as boas-vindas e agradecer as autoridades brasileiras, lideradas pela presidente Dilma Rousseff", declarou o presidente da Fifa, em português.
Dilma foi vaiada duas vezes pelo público, quando foi anunciada oficialmente e quando foi citada por Blatter. Ela ficou com o semblante fechado ao lado do cartola da Fifa e apenas declarou aberta a competição. "Declaro oficialmente aberta a Copa das Confederações Fifa 2013", discursou a presidente, visivelmente constrangida com a situação. 









Brasil e Japão

Brasil 3 Japão 0
















México e Itália

No Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, Pirlo inaugurou o marcador, aos 27 minutos, na marcação de um livre direto, tendo o "Chicharito" Fernandez empatado, sete minutos depois, na marcação de uma grande penalidade, até que Mario Balotelli sentenciou o encontro a 12 minutos do final. 
Com este triunfo, a Itália soma os mesmos três pontos do que o Brasil, que no sábado venceu o Japão, por 3-0, no jogo inaugural da competição.

Manifestações

Rio de Janeiro – O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse hoje (17) que o governo não vai tolerar manifestações que atrapalhem ou tentem impedir a realização de jogos da Copa das Confederações. Em evento no Rio de Janeiro, o ministro disse que o Brasil assumiu o compromisso de realizar o evento e vai cumpri-lo.
"Não vamos permitir que nenhuma dessas manifestações atrapalhe nenhum dos eventos que nos comprometemos a realizar. Quem achar que pode impedir a realização desses eventos enfrentará a determinação do governo de impedir. As manifestações serão toleradas dentro desse limite”, disse Aldo.
Segundo o ministro, as polícias estaduais tiveram sucesso em garantir a realização dos três primeiros jogos da Copa das Confederações e, por isso, manterão seu esquema de segurança para as próximas partidas. Aldo Rebelo disse não temer que a imagem do Brasil seja prejudicada pelas manifestações e espera que o resto do mundo veja o país como um lugar democrático mas capaz de garantir a ordem.
Sobre as vaias à presidenta da República, Dilma Rousseff no jogo de abertura da Copa, no último sábado (15), em Brasília, o ministro disse que como militante do movimento estudantil teve que conviver com isso, mas não aconselha que os torcedores tenham esse comportamento.
Aldo garantiu que todas as obras necessárias estarão prontas para a Copa do Mundo de 2014, apesar de “alguns setores da sociedade” discordarem disso. Segundo ele, as obras que não forem concluídas a tempo sairão da matriz de responsabilidades da Copa e perderão o direito de ter um regime de contratação diferenciada.
Sobre as despesas com o evento, Aldo Rebelo disse que, para cada R$ 1 gasto pelo Poder Público, R$ 3,40 foram investidos pela iniciativa privada.
No evento sobre economia do futebol, realizado hoje no Rio de Janeiro, o presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter, disse que durante a realização de eventos internacionais, algumas vezes é preciso lidar com eventualidades como os protestos no Brasil e na Turquia, onde a Fifa realizará o Mundial de Futebol sub-20. Blatter elogiou os estádios Jornalista Mário Filho, o Maracanã, e Mané Garrincha.






0 comentários:

Postar um comentário